Violência Doméstica em tempo de Quarentena

Violência Doméstica em tempo de Quarentena

O momento atual que estamos vivendo, que o mundo todo está vivenciando, sob uma pandemia do COVID-19, crianças, adolescentes e também mulheres, estão dentro de casa confinados, sem poder irem às escolas, lugares de proteção, Projetos assistenciais, trabalho e isso têm aumentado a violência doméstica. Dia 06/04/2020, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, lançou um apelo ao mundo para que se proteja essas crianças, adolescentes e mulheres. Pediu que os locais que estão permitidos de ficarem abertos, como farmácias e lojas de alimentos, montem um “sistema de alerta de emergência” para que possam pedir ajuda de maneira segura, sem que aqueles que os maltratam percebam isso. Continuou afirmando “muitas mulheres e crianças estão particularmente em risco de violência exatamente onde deveriam ser protegidas. Nas suas próprias casas.”

Em Campina Grande, Paraíba, o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Rogério Damasceno, disse em uma entrevista concedida a uma emissora de rádio, que durante a quarentena em prevenção ao corona vírus, houve redução no número de roubos na cidade, mas houve um aumento no número de ocorrências referente à violência doméstica de 44%.
Em Blumenau, Santa Catarina, as ocorrências de violência doméstica registraram aumento de 39% durante a quarentena, comparado com o mesmo período do ano passado. Houve um aumento de denúncias de violência sexual. Mas, “os casos de violência sexual infantil recebidos pela secretaria municipal diminuíram”. Isso pode ser explicado talvez pela presença dos familiares em casa durante a quarentena, o que pode estar inibindo que os agressores ajam. Mas, também, a suspensão das aulas presenciais, pode estar prejudicando as denúncias, pois os professores são considerados identificadores dos casos de violência infantil, por conhecerem seus alunos e estarem diariamente com eles.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, informou na semana passada um aumento de 9% nas denúncias de violência contra a mulher e isso depois das medidas impostas de isolamento social no Brasil devido à pandemia do COVID-19 e continua dizendo que isso “e´ uma tendência mundial com mais gente permanecendo em casa”.
Podemos concluir assim, que venceremos o vírus sim, chegaremos a esse momento e retornaremos à escola, ao trabalho, às igrejas e templos…, mas, no momento atual, tenhamos olhos para mais essa situação, agressores e vitimas confinados dentro de casa

Mércia Fuzetti de A. Troncon, psicóloga da APROCAF.

Referências:
Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br- “ONU pede proteção a mulheres e crianças vítimas de violência doméstica” – publicado e acessado em 06/04/2020
Agência Brasil – https://agenciabrasil.ebc.com.br- “Alerj lança canal para denúncias pelo WhatsApp”- publicado e acessado em 06/04/2020
G1 SC – https://g1.globo.com -“Denúncia de violência doméstica aumenta em Blumenau durante a quarentena” – publicado e acessado em 06/04/2020
Paraíba Online – https://paraibaonline.com.br – “Número de casos de violência doméstica e perturbação do sossego aumenta em CG”- publicado e acessado em 06/04/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações
de rastreamento sobre os visitantes.